sexta-feira, 20 de março de 2015

Campanha contra Babilõnia

Não ia falar nada, pois à partir do momento que você fala, cria ibope. Mas, pelo vendaval de posts na campanha contra a nova novela da Globo, preciso deixar minha opinião a respeito.

Não vejo tv aberta regularmente há mais de 1 ano. O que vejo são flash's esporádicos quando passo por um cômodo da minha casa e tem uma tv ligada em algo. Quando eu mesmo ligo a tv, vejo apenas canais da minha tv por assinatura, geralmente a Fox e alguns canais de filmes e documentários. Alterno com o Netflix, que é uma mão na roda, pois vejo o que quero na hora que quero.


Agora, todos sabem que as novelas são peças de entretenimento, assim como filmes e séries, e são produzidas para refletir o pensamento e os dogmas de seu autor e de sua produtora. Ou seja, quem conhece onde a novela foi feita e por quem foi escrita, saberá exatamente o que virá.

Eu, particularmente, decidi parar de ver novelas depois da Avenida Brasil, essa foi a última novela que acompanhei todos os dias.

Em relação à campanha contra a nova novela, eu acho que é um tiro que vai sair pela culatra. Pois, se quer acabar com algo, é simples, não o mencione, ignore-o. Qualquer campanha, seja à favor ou contra, sempre terá como resultado a evidência. É a velha máxima: "falem mal, mas falem de mim". Acredito que os que estão nessa campanha têm boas intenções, mas vão acabar colhendo o oposto do desejado, ou seja, ao invés de conseguir que pessoas não vejam a novela, vão incitar nos curiosos o desejo de vê-la.

Sou um exemplo disso. Nem sabia de nada, ai de repente vejo no meu feed várias referências a duas idosas se beijando, fiquei curioso para saber quem eram as anciãs. Outros ainda postam o vídeo das duas praticando o ato que eles mesmo condenam, para mim, o cúmulo do absurdo. Seria mais ou menos se eu quisesse ensinar ao meu filho que fumar faz mal à saúde, fumando na frente dele.

Não me sinto bem escrevendo isso, queria passar por essa novela sem ser necessário escrever algo sobre ela, pois quanto mais mencionamos algo, mais ibope damos a ele. Por isso, reservei-me o direito de não mencionar nomes, a pesar de ser irrelevante, pois todos sabem do que estou falando.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Por que a tv me deixou burro demais


No sábado dia 24/11 o diretor do programa TV Xuxa, Mário Meirelles postou frases provocativas no Twitter, durante a exibição do programa, aos telespectadores do desenho Pica-Pau.

“Atenção retardados que estão assistindo Pica-Pau, começou TV Xuxa”, escreveu.

 Sei, já se passou uma semana e só agora estou falando no assunto. E só estou escrevendo sobre isso por que, sem querer, vi a reportagem no Domingo Espetacular do dia 2/12. Pra variar, criando uma "tempestade em copo d'água". Sim, quando se trata de algo sobre a concorrente, tudo é motivo de polêmica para a Record.

Não quero aqui, defender algum lado. Mesmo que, para mim, a tv aberta já deu o que tinha que dá. Hoje, vivem na glória do passado, sem saber que há muito, foram deixados de lado pela internet e tv por assinatura.

É claro que idiotas existem, e eles usam seu tempo livre para postarem idiotices nas redes sociais. E, usar uma frase infeliz, de uma idiota infeliz, para começar uma polêmica infeliz, atacando de tabela a concorrente, foi uma escolha infeliz, ao meu ver, da Record.

Tenho 32 anos, minha infância e adolescência foram marcadas pelos dois objetos dessa polêmica. Tanto o Xou da Xuxa, quanto o Pica-Pau, que já foi transmitido pela Globo. É claro que a Xuxa de hoje, não agrada mais a mim. Na minha humilde opinião ela deveria se aposentar, mas é só minha opinião.

Sei também que na guerra por audiência, ver seu programa perder para um desenho infantil que já foi repetido mais vezes que o Chaves e Todo Mundo Odeia o Chris juntos elevados ao quadrado, deixa qualquer idiota "fulo" da vida. Mas ai, a culpa não é do desenho, nem da emissora que o explora, nem muito menos dos telespectadores livres para escolherem o que assistir, mesmo que essa escolha desagrade a outrem.

No meu parecer, idiota e retardado não é quem vê o Pica-Pau, que por sinal é um ótimo desenho, e sim quem se vê frustrado por não poder dirigir algo que chame mais a atenção da audiência que um pássaro azul, vermelho e branco, cheio de "marra", que vive se dando bem. 

 Quer saber mais sobre a história do Pica-Pau, clique aqui.